Brasil e Alemanha firmam acordo por carro elétrico.
 Imprimir     Indicar para amigo


A Alemanha ajudará o Brasil a avançar na área de eletromobilidade, a partir de um novo acordo de cooperação técnica firmado entre os dois países. O projeto que terá duração de quatro anos prevê um investimento de € 5 milhões pelo Ministério de Cooperação Internacional e Desenvolvimento Econômico da Alemanha (BMZ) para ações que incentivem a produção brasileira de carro elétrico e a disseminação de pontos de recarga.

O acordo será coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e intermediado pela Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores, além do apoio da Agência de Cooperação do governo alemão (GIZ).

Entre as ações previstas, está a criação de diretrizes para linhas de financiamento, apoio à disseminação de tecnologias inovadoras, bem como consultoria ao governo brasileiro, associações e representações do setor sobre a gestão da frota de veículos elétricos e híbridos. O projeto foi tema do Workshop “Propulsão eficiente em áreas urbanas”, realizado na quinta-feira, 10, que discutiu o cenário brasileiro atual de eletromobilidade e quais medidas devem ser adotadas.

Segundo a diretora do departamento de Indústrias para a Mobilidade e Logística do MDIC, Margarete Gandini, a busca de parcerias para o aprofundamento do assunto se deu dentro de uma visão de que novas tecnologias de propulsão já são uma realidade mundial. “A Alemanha já possui know-how em tecnologias de propulsão mais eficientes. A contribuição deles vai ser de extrema importância para o desenvolvimento de políticas públicas e criação de novos modelos de negócios”, disse.

A diretora acrescentou que deverão ser consideradas duas importantes vertentes no contexto da eletromobilidade brasileira: a da indústria e a da mobilidade e logística: “A política industrial de abastecimento deve estar voltada às soluções e entregas que englobem essas duas vertentes”, disse.

Este é o segundo passo que o País dá em direção à eletromobilidade: no ano passado, o governo aprovou a redução do imposto de importação para veículos elétricos e híbridos para incentivar o uso desses modelos mais eficientes.

Fonte: Automotive Business